Biografia

A minha infância…

Nasci em Barcelos em Janeiro de 1981 e vivi nesta cidade até 2002. Aos 3 anos fui para o colégio e era uma criança muito sociável e comunicativa. A minha vontade de aprender fez-se notar desde muito cedo pelo que, aos 5 anos de idade, pedi à minha mãe para ter aulas com uma professora porque queria aprender a ler! Aos 6 anos entrei na Escola Gonçalo Pereira para o 1º ano, apesar de ter andado numa turma de 2º ano aconselhada pela professora. Fui uma aluna muito responsável e aplicada já nesta idade.

Cara 5 anos
O meu gosto pela música começou nesta altura quando os meus pais me ofereceram um teclado muito pequenino onde eu comecei a tirar músicas conhecidas de ouvido como os Parabéns!! Inscreveram-me em aulas de Música e comecei por aprender órgão. Eu adorava tocar órgão e, para além de empurrar todos os que apareciam lá por casa para aprenderem gostava de tocar e cantar ao mesmo tempo 🙂 !

Do interesse pela Música até à Universidade

 Aos 10 anos fui para a Escola B2,3 Gonçalo Nunes e também comecei a aprender piano na Academia de Música de Barcelos na classe do Prof. João Paulo Teixeira com quem terminei o 8º Grau de piano aos 18 anos. No meu percurso musical passei por várias masterclasses com Professores como Luís Pipa, Helena Sá e Costa, Sofia Lourenço, Tânia Achôt e Vitalys Margulis e participei no Concurso Regional de Piano do Conservatório Calouste Gulbenkian obtendo o 2º prémio ex-aequo (1995) e uma Menção Honrosa (1997).

No 9º ano fui para a Escola Secundária Alcaides de Faria em Barcelos e, confesso que sofri um bocadinho com a escolha do curso. As minhas opções estavam entre seguir o Curso de Música ou o de Psicologia mas, muitas pessoas me diziam “podias ir para medicina” porque tinha nível 5 a todas as disciplinas e que a Música não dava dinheiro! Contudo, decidi ir para Música, seguindo o meu coração apesar do sonho do meu pai ser o de vir a ser gestora…

Até ao 12º ano muitas horas foram passadas a estudar piano até que, acabei por entrar na Universidade no ano 2000 e terminei a minha Licenciatura em Música com Especialização em Pedagogia Musical na Escola das Artes da Universidade Católica do Porto em 2005 na classe do Professor Serghei Covalenco. No período Universitário participei no Congresso da EPTA (2003) e no Festival Internacional de Música de Mafra na realização da integral das sonatas para teclado de Carlos Seixas (2004) e em inúmeros recitais nomeadamente na “música das primeiras quartas-feiras” em Barcelos integrando o duo com Ana Paula Carreira, tocando obras a dois pianos e a quatro mãos.

O interesse pelas Terapias

Foram anos de muita dedicação ao estudo e poucas horas dedicadas a cuidar-me… eram muitos nervos, muita ansiedade, muita preocupação com a minha performance… por sorte, não adoeci e, talvez, graças ao Reiki, já que me tornei reikiana em 2000 e era a única ferramenta que ía usando comigo. Em 2001 também tive contacto com Renascimento num Workshop que fiz com Iara de Lima (e em 2010 vinha a participar, com a mesma terapeuta, no Seminário “Construindo e Expandindo a Autoestima na Vida”) que me ajudou porque (re)aprendi a respirar.

O encontro com a Musicoterapia e as Constelações Familiares

No meu curso superior, a certa altura, tive como disciplinas Psicologia da Música e Psicologia das Artes onde tomei contacto, pela primeira vez, com a existência da Musicoterapia. Nessa altura, ficou o “bichinho” de um dia vir a integrar um curso de Musicoterapia já que era uma disciplina que unia as minhas paixões – a Música e a Psicologia. E… assim foi! Comecei por fazer, em 2004, um curso de Introdução à Musicoterapia na faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto sob a orientação do docente Armando Nanim e depois, em 2007 decidi ir fazer a Pós-Graduação em Musicoterapia no Conservatório de Música do Rio de Janeiro sob a orientação da musicoterapeuta Lia Rejane Mendes Barcellos. Foi nesta altura que comecei o meu processo em Terapia já que, era exigência do próprio curso para todos os que queriam ser terapeutas, começarem primeiro o seu próprio processo em terapia.

Para além do curso que é muito bom, vivi uma experiência fantástica e cresci muito, não só porque fui sozinha mas, também, porque me identifiquei muito com a energia daquela “cidade maravilhosa”!

Numa das viagens que fiz ao Rio iniciei lá o Treinamento de Terapeutas Reiki com o João Carlos Melo (tinha-me tornado reikiana já em 2000 com o mesmo Mestre) e onde dei continuidade depois, na turma de 2007 de Portugal, concluindo o curso em 2010 e começando os atendimentos como terapeuta estagiária numa Clínica Social de Reiki.

 No Rio, fui descobrir que viria a trabalhar com cura… Foram viagens muito importantes para o meu auto-conhecimento e, por isso, muito enriquecedoras e inesquecíveis! Em 2004, já quase a terminar a minha Licenciatura comecei a fazer aulas de Yoga. Adorava as quartas-feiras porque começava, de alguma forma, a querer cuidar de mim…

Depois de concluir a minha Licenciatura comecei logo a dar aulas de piano em Braga, Guimarães e Famalicão. Depressa fui percebendo que os alunos precisavam de outra atenção e que, procuravam a música como algo que os podia ajudar a concentrar-se, a ser mais metódicos e disciplinados, ou a expressarem as suas emoções.

Sempre a procurar desenvolver o meu lado humano e o de terapeuta decidi fazer a Formação em Constelações Familiares com a Psicóloga Silvana Ferreira, formação que concluí em 2011 e fiz também o Curso Internacional de Constelações Organizacionais e Coaching Sistémico com Cecílio Regojo.

O encontro com as Taças Tibetanas e os Gongos

 Em 2010 comecei a interessar-me por Taças Tibetanas e fiz um workshop de Introdução a estes instrumentos com a Ana Taboada mas, apesar de ter adorado, achava sempre que as taças não eram para mim. A verdade é que, depois do workshop, em 2011, fiz o curso de Nível 1 da Academia Peter Hess. Aqui, a minha vontade de trabalhar com estes instrumentos consolidou-se e decidi então, fazer a Formação completa em Taças Tibetanas e Gongos com a Ana Taboada em aulas particulares e, em 2012, o Curso de Formadores (em Taças Tibetanas, para utilização em Massagens e Tratamentos e em Gongo Tam Tam, para utilização em concertos e tratamentos) que me possibilita transmitir estes conhecimentos. Uma vez que trabalho com crianças e que, achei desde logo, que estes instrumentos poderiam ser uma ajuda, fiz também o Workshop de Taças Tibetanas na aplicação para crianças da Academia Peter Hess. Actualmente faço concertos com estes instrumentos, workshops para crianças e dou Formação.

E… mais um grande “mergulho” pessoal

Em Julho de 2011 o destino levou-me novamente a terras Brasileiras, desta vez, à Comunidade Osho Rachana em Porto Alegre onde participei num dos processos mais importantes de todo o meu desenvolvimento pessoal chamado “Processo Pai e Mãe” com terapeutas do Namastê de Porto Alegre. Estive na Comunidade durante um mês e foi o retiro mais importante e marcante que fiz até hoje. Foi um processo muito forte, onde tive possibilidade de resgatar a minha criança e onde recebi, no final do processo, o nome sannyasin Ma Anand Prema (que significa Êxtase do Amor) que representou para mim um novo nascimento, uma energia renovada!

Em 2012 formei-me como Instrutora de Yoga Integral e, em Maio, tornei-me aluna do Venerável Mestre Tulku Lobsang Rinponche. Apaixonei-me pelas práticas budistas Tibetanas e, em 2013 iniciei a minha formação em Lu Jong e, em Julho, num retiro na Aústria com Tulku Lama, tornei-me professora de Tog Chod. Sou professora certificada destas práticas desde Fevereiro de 2014, durante um fim de semana na Alemanha onde fui aprovada nos respetivos exames teórico e prático. Em Maio de 2015 formei-me em Psicologia Budista com Tulku Lobsang.SONY DSC

As minhas práticas diárias são o Yoga e Lu Jong e também pratico regularmente Tog Chod, Tsa Lung e Tummo. Assim, tenho-me experimentado num processo de auto-conhecimento e de auto-transformação, tenho procurado olhar-me profundamente como pessoa e também como terapeuta.

Acredito que esta é a via possível e pela qual me torno capaz de ajudar outros a mergulharem em si próprios e a conhecerem partes de si mesmo, até então, desconhecidas ou adormecidas!

Anúncios