Facebook Instagram Youtube

Cristiano Ronaldo, o ioga e um lamento: “Cometi um grande erro quando era jovem”

Hoje, quero aprender mais do que nunca, quero ser mais educado, quero educar, quero ler muito, livros sobre medicina, ioga … Vejo muitos documentários sobre os mestres dessa disciplina e sobre quem ensina meditação. Pratico, durante 15 ou 20 minutos, e funciona, realmente. Devemos experimentar tudo, porque em todo o lado há problemas, todos sofrem com o stress. Se conseguirmos livrar-nos disso, é fantástico”, continuou.

ojogo.pt/

Veja a notícia completa em:

https://www.ojogo.pt/internacional/cristiano-ronaldo/noticias/cristiano-ronaldo-o-ioga-e-um-lamento-cometi-um-grande-erro-quando-era-jovem-11458307.html

Grandes homens e o Yoga: o segredo do músico Sting

“Quando se chega a uma determinada idade, apercebemo-nos que a vida é limitada. Podemos ficar depressivos por causa disso, ou podemos dizer, vou apreciar cada minuto no seu potencial máximo.” Sting – in USA today

Sting é conhecido como uma estrela do Rock mas muitos desconhecem que ele é também um Yogi. Nasceu em 1951. Sim… 1951! Dá para acreditar que este senhor tem atualmente 65 anos? Qual será o seu segredo?
Em inúmeras entrevistas ele fala sobre a sua relação com a esposa, a atriz Trudie Styler, e de como o mindfulness, o yoga e o tantra se refletem na qualidade do seu relacionamento.
Sting e Trudie Styler estão juntos há 30 anos e ele diz que o casamento é um trabalho árduo: “Eu acho que os casamentos muitas vezes falham porque uma vez que as pessoas assinam o contrato, eles dizem: ‘É isso aí’. Mas um relacionamento é um organismo vivo e que respira, precisa de ser nutrido, precisa evoluir, ser ajustado, precisa de compromisso e flexibilidade “.

Como Sting começou no Yoga

Sting diz que precisa de estar fisicamente em forma, porque a sua profissão assim o exige (as viagens constantes, os espetáculos…). Inicialmente, o músico era cético e pensava que o Yoga não era mais do que ficar sentado a olhar para o umbigo. Foi já depois dos 30 anos que Sting teve contacto pela primeira vez com o Yoga. Apesar de estar em forma percebeu que não era capaz de realizar todas as posturas. Intrigado, decidiu levar a sério a prática e até hoje nunca mais deixou de a fazer regularmente.

O Yoga é tão importante para ele que hoje em dia não sobe ao palco sem fazer uma sessão. Na verdade, a banda inteira faz uma sessão de yoga em conjunto antes das suas atuações para aumentar a coesão e o espírito de equipa.

Benefícios do Yoga para Sting

Sting diz que a sua prática regular de Yoga lhe dá mais energia para as tarefas diárias e atesta os benefícios mentais e espirituais do yoga. Segundo ele, ajuda-o a entender a conexão entre o corpo e mente e que isso o ajuda também a envelhecer de forma mais graciosa. À medida que envelhece, Sting diz que o Yoga o ajuda a tornar-se cada vez mais contemplativo.

“O Yoga enriqueceu a minha vida, permitindo-me melhorar fisicamente; O que é muito inspirador, especialmente quando se envelhece. Eu faço imensos tours e estar na estrada nem sempre é fácil… Como a música, o yoga é uma viagem – uma que é longa o suficiente para que se continue a desenvolver e a aprender. Não vejo um fim nisso.”

Quem não deseja chegar assim aos 65 anos?

Joana Rainha

Pernas definidas com Yoga!

Ter umas pernas definidos é muito mais do que uma questão meramente estética. Se caminhamos é graças às nossas pernas e são elas que nos permitem chegar onde desejamos. E, com umas pernas fortes e uns músculos firmes e bem definidos, não será que vamos mais longe?

Hoje revelo alguns exercícios de Yoga para tornar as nossas pernas mais definidas e que podem ser feitos em casa.

1 – Malasana (Postura do Pato)

Afaste os pés e mantenha-os apoiados no chão e baixe as suas nádegas inspirando. Leve as mãos em frente ao peito unidas e mantenha a coluna alongada. Ao expirar suba para ficar de pé. Volte à posição inicial. Repita cinco vezes.

2 – Utkatasana (Postura da Cadeira)

Comece com os pés unidos. Inspire e levante os seus braços sobre a cabeça unindo as mãos. Ao expirar flexione os joelhos até ficar numa posição como se fosse sentar e mantenha cinco respirações. Esta postura é também eficaz para o trabalho dos glúteos.

3 – Virabhadrasana II (Guerreiro)

Dê um passo grande com o pé direito, atrás. Rode o pé esquerdo para fora e mantenha o calcanhar alinhado com o arco do pé ou calcanhar do pé direito. Mantenha as ancas para a frente e o cóccix para baixo. Inspire e eleve os braços à altura dos ombros. Ao expirar flexione o joelho esquerdo mantendo-o alinhado com o tornozelo. Alongue a coluna vertebral e não deixe que o tronco se mova para a frente. Contraia o abdômen. Mantenha o olhar no dedo médio da mão esquerda e o queixo paralelo ao chão.

4 – Lutasana (Aranha)

Afaste os pés um pouco mais que a largura da suas ancas. Os pés ficam bem apoiados no chão. Ao expirar flita as suas pernas até fazerem um ângulo de 90º. Apoie as mãos nas pernas, com os dedos voltados para si e com os braços fazendo um ângulo de 90º. O tronco deve fletir um pouco à frente. Mantenha cinco respirações.

5 – Postura da ponte (SetuBandhasana)

Comece deitado de costas. Flita os joelhos e coloque os pés no chão, afastados à largura das ancas e a um palmo das suas nádegas. Deixe os braços ao lado do corpo e próximos dos calcanhares com as mãos voltadas para baixo. As laterais de fora dos pés devem estar paralelas.
Pressione os pés contra o chão (especialmente a articulação do dedo grande do pé), encaixe o cóccix e eleve os quadris e as nádegas.
Entrelace os seus dedos por baixo das suas costas e se possível, aproxime os ombros e as omoplatas. Respire profundamente pelo menos cinco vezes nessa posição.
Para variar um pouco esta asana, levante uma das pernas e mantenha durante algunos segundos, conseguirá uns glúteos firmes em pouco tempo. Repita também com a outra perna.

Joana Rainha

Os homens de verdade praticam ioga, e os melhores jogadores também

Grandes nomes do desporto como Shaquille O’Neal, LeBron James ou Kevin Garnett não dispensam o ioga. Como faz, de resto, a seleção de râguebi da Nova Zelândia.

maisfutebol.iol.pt/

«O ioga ajuda-me a acalmar e a centrar a minha energia no que é realmente importante. Por isso sinto-me mais equilibrado, já não saio para o campo com vontade de espalhar a minha energia por todo o lado», acrescentou Kevin Garnett.

maisfutebol.iol.pt/

Veja a notícia completa em:

https://maisfutebol.iol.pt/reportagem/historia/os-homens-de-verdade-praticam-ioga-e-os-melhores-jogadores-tambem

6 minutos de Yoga para uns abdominais fantásticos!

Com a proximidade do Verão, a vontade de termos uns abdominais definidos e a procura de exercícios para trabalhá-los aumenta. Para muitos, a motivação, é a questão estética.
No entanto, sabia que, trabalharmos os nossos abdominais e o core é de importância vital para a nossa saúde?

Atrás da parede abdominal encontram-se as partes vitais do nosso organismo, portanto os exercícios abdominais ajudam na manutenção da tonicidade muscular desta região do corpo, evitando a degeneração de fibras que acabam por relaxar pela pressão e pelo peso dos órgãos. A musculatura abdominal mantém o tronco ereto evitando a diminuição das funções orgânicas. Quando a nossa musculatura abdominal é fraca dificulta a eliminação de resíduos, facilitando a formação de hérnias e o surgimento de hemorróidas. Quando esta musculatura é forte evita-se a oscilação pronunciada da pélvis. Os músculos abdominais quando não trabalhados fazem com que o estômago fique dilatado por não encontrar resistência e passamos a ingerir mais alimentos, possibilitando a obesidade.

Os exercícios abdominais promovem a saúde e também a estética!

Apresento-lhe alguns exercícios de Yoga que podem ser úteis para começar a trabalhar a sua zona abdominal.

Desejo-lhe um Verão fantástico e cheio de Saúde!

Até breve,

Joana Rainha

Saudação ao sol

Tudo sobre esta famosa sequência do Yoga!

A forma como começamos a nossa manhã pode condicionar o nosso estado de espírito durante todo o dia. Por isso, é importante cultivarmos rituais matinais que nos façam sentir bem e que nos garantam a força que precisamos para as horas seguintes.
Apesar de poder ser praticada a qualquer hora do dia, a saudação ao sol (ou, surya namaskar) não é mais do que isso: um ritual em que damos as boas-vindas ao novo dia e renovamos as nossas energias.

Em que consiste a Saudação ao Sol?

É uma sequência de 12 posturas do yoga, por isso, mesmo que seja uma pessoa muito ocupada ou que tenha pouco tempo é um excelente exercício que lhe traz inúmeros benefícios investindo pouco do seu tempo. Do ponto de vista prático, é uma das sequências de posturas mais conhecidas e utilizadas no yoga. E pode assumir inúmeras variações. As mais conhecidas são as versões A e B, mas todas as variações da saudação ao sol são sempre reagrupadas e concebidas para criar um programa de exercício que faça uso de todo o nosso corpo. A ideia é activar os músculos, tendões, ligamentos, articulações e até os nossos órgãos internos.

Quais os benefícios da Saudação ao Sol?

Esta sequência de posturas oferece uma série de benefícios interessantes para cada parte do corpo: coração, fígado, intestinos, estômago, peitoral, garganta e pernas – o corpo todo de cima a baixo.

  • alonga e desenvolve flexibilidade corporal;
  • em ritmo acelerado, fornece um bom tipo de exercício cardiovascular;
  • em ritmo lento, as posturas ajudam a tonificar os músculos e podem ser relaxantes e meditativas;
  • alivia a rigidez corporal;
  • embora seja uma prática em si mesma, a Saudação ao Sol forma uma excelente ligação entre os aquecimentos e as posturas intensas de yoga;
  • purifica o sangue e aumenta a circulação sanguínea pelo corpo, garantindo o funcionamento correto do estômago, intestinos e nervo central;
  • ajuda a equilibrar as três constituições – Vata, Pitta e Kapha – das quais o corpo é feito.

Veja no quadro em baixo mais vantagens desta saudação e como pode até perder peso com esta sequência em poucos minutos!

Número de repetições da sequência

O número de vezes que escolhe repetir a sequência é definido por si. No entanto, a repetição por 108 vezes da saudação ao sol é uma prática habitual dos yogis mais empenhados. Nesta prática, assinalam-se alturas específicas do ano como os solísticios e equinócios, altura em que a natureza se renova e os nossos corpos pedem essa renovação também. O número 108 é considerado um número sagrado, por diversas razões matemáticas, físicas e metafísicas. Se multiplicar 1 elevado a ele mesmo por 2 elevado à 2ª e por 3 elevado à 3ª o resultado é 1 x 4 x 27 = 108. Outro exemplo é a distância média entre a Lua e a Terra que é de 108 vezes o diâmetro lunar.

Confira todos estes benefícios experimentando começar o seu dia saudando o sol.
O seu corpo acorda para um novo dia e fica revigorado! A mente acalma e desperta. 

Joana Rainha

Yoga no avião!

Seja para desfrutar de umas férias, seja por questões de trabalho ou seja por qualquer outro motivo, viajar de avião pode trazer-nos dificuldades e desafios ao nível do nosso corpo e mente.

As longas horas de voo, o tempo de espera de pé nas filas ou sentado nas cadeiras dos aeroportos, as corridas para não perder voos são alguns dos motivos que dificultam as boas posturas e/ou o relaxamento do corpo e da mente. Ficarmos com o corpo imóvel por demasiado tempo ou adormecermos em posturas incorretas tudo isto contribui para a fadiga e tensão muscular e, simultaneamente para uma mente ansiosa e impaciente.

Síndrome do pânico, ansiedade, medo de voar são alguns dos desafios ao nível da mente. Tensão muscular, má circulação sanguínea, retenção de líquidos são alguns dos desafios ao nível do corpo.

Seja como for, dentro ou fora do avião, podemos tornar-nos proativos em minimizar estes efeitos e em melhorarmos o nosso rendimento e eficiência nas atividades que iremos realizar depois de aterrarmos. Isto é possível com alguns exercícios simples e que nos tomarão pouco tempo.

Veja alguns dos benefícios de praticar durante a viagem:

  • Aliviar a tensão muscular (especialmente das zonas mais afetadas como pescoço, cervical, ombros, joelhos, coluna vertebral);
  • Liberta tensão muscular;
  • Melhorar a circulação sanguínea (diminuindo a retenção de líquidos);
  • Diminui a ansiedade e stress;
  • Acalma e relaxa a mente;
  • Ajuda a dormir durante o voo;
  • Prepara o corpo e mente para as tarefas após a viagem.

Deixo-lhe algumas dicas de exercícios inspirados em posturas de Yoga e desejo-lhe um ótimo vôo!

Respiração Consciente

Comece por se sentar confortavelmente com a coluna bem estirada e os pés bem assentes no chão. Se os seus pés chegarem ao chão com facilidade pode encostar as costas na cadeira. Faça algumas respirações profundas, procurando direcionar o ar até à parte baixa dos seus pulmões, deixando que o abdomen expanda. Faça no mínimo cinco respirações (pode manter os olhos abertos ou fechados) e concentre-se somente em observar a entrada e saída do ar pelas suas narinas.

Postura do Gato (MARJARYASANA) – variante sentado

Coloque as mãos sobre os joelhos. Inspire puxando com as mãos os seus joelhos para ajudar a abrir o seu peito à frente. Expire, empurrando as costas para trás e olhando o umbigo. Faça no mínimo cinco repetições.

Postura de torção sentado

Sentado com a coluna alongada e com os pés bem assentes no chão, coloque a mão direita no lado externo do seu joelho esquerdo e o braço esquerdo fica encaixado atrás das costas (a palma da mão sobre o cóccix). Inspire e, ao expirar torça a coluna para o lado esquerdo (a mão que está sobre o joelho puxa o mesmo ajudando na torção da coluna). Repita no mínimo por cinco ciclos respiratórios (um ciclo inclui uma inspiração e uma expiração). Se possível, vá aumentando a amplitude do movimento durante a permanência na postura. Repita para o outro lado.

Estiramento da coluna vertebral

Estire os braços à frente com as palmas das mãos voltadas para dentro. Inspire elevando os seus braços acima da cabeça, até ao alinhamento das suas orelhas. Entrelace os dedos das mãos e, ao expirar. rode as palmas das mãos para cima. Mantenha a postura no mínimo cinco ciclos respiratórios. Enquanto permanece na postura, procure sentir que o espaço entre as vértebras da sua coluna aumenta e expande a cada nova respiração. Sinta também a pele da palma das mãos a alongar. Antes de baixar os seus braços, rode as palmas das mãos para baixo e desentrelace as mãos.

NOTAS:
Se desejar, pode repetir o exercício de respiração consciente para terminar a sequência dos exercícios.
Os exercícios que apresento são sobretudo para pescoço, cervical e coluna vertebral. Sugiro que, nos momentos em que no vôo seja permitido estar de pé, se levante e caminhe um pouco para cuidar da parte inferior do seu corpo. Pode fazer um exercício de pé, colocando as mãos sobre a cintura. Inspire retirando os calcanhares do chão e alongando as suas pernas. Expire pousando os calcanhares e voltando à posição inicial.
Se for o caso, nos momentos de espera no aeroporto pode também usar as cadeiras do mesmo para exercitar o seu corpo.
No exemplo em baixo:

Postura da cobra (bhujangasana)

Inspire abrindo o seu peito para a frente e empurrando os seus ombros para baixo e para trás (afastando-os o mais possível das suas orelhas). Apoie bem as mãos nas laterais da cadeira e mantenha as nádegas contraídas durante a permanência da postura. As pernas ficam estiradas e afastadas pela largura das suas ancas com o peito do pé voltado para o chão. Permaneça no mínimo cinco ciclos respiratórios.

Joana Rainha

A propósito do Domingo de eleições…

A propósito do Domingo de eleições entrei em reflexão, (não propriamente em relação à minha escolha de voto) mas, em relação às nossas reacções enquanto seres humanos.

Estamos a viver dentro de um sistema que se mostra cada vez mais doente… em que cada vez mais pessoas estão tristes e depressivas, se refugiam em medicamentos, não sabem o que querem e desenvolvem sintomas como ataques de pânico (por exemplo, por irem para um trabalho ou emprego com que já não se identificam, em que, movidas pelo medo entram numa espiral de tudo permitir e que se vitimizam expressando: “tenho que ir, que remédio! não posso fazer nada, não tenho alternativa”).
A verdade é que nos esquecemos que esse sistema se faz com cada uma das suas partes… e essas partes somos cada um de nós. O Budismo têm-me ajudado a não pensar nas coisas como fixas, sólidas e permanentes e, a aceitar que tudo muda, a cada momento. No entanto, é necessário tornar-me forte, ter a mente clara para que não me esqueça que se quero mudanças sou eu primeiro que tenho que mudar. Tantas e tantas pessoas desperdiçam a vida e o tempo a responsabilizarem o patrão, o marido, o estado ou outra coisa qualquer porque acham que não há nada a fazer… há sempre alternativas mas, temos que querer mudar! Não podemos ficar à espera que nos tirem de determinado lugar porque somos nós que damos ordens às nossas pernas para elas se moverem. A percentagem de abstenção gritante mostra que as pessoas estão sem poder pessoal, sem vontade, inertes… querem as mudanças mas, nada querem fazer para se mudar a elas mesmas!

Olhemos para dentro, usemos o tempo e o nosso corpo de forma proativa… como diz Gandhi 

“Sê a mudança que queres ver no mundo.”

Joana Rainha

Se não faz bem, deixa ir…

A chegada de cada nova estação traz-nos diferentes cores, cheiros e sabores. A natureza é sábia e impõe-nos, de forma natural e espontânea, que nos readaptemos. O nosso corpo e estado de espírito entram em ressonância com todas estas mudanças exteriores e, por isso, somos convidados a olhar para a nossa própria natureza.

Quão ligados estaremos a essa Natureza?

Se recuarmos na história, rapidamente percebemos que os nossos antepassados tinham possibilidades mais vastas de estarem ligados à Natureza. Muitos trabalhavam no campo e isso, por si só, ajudava a que estivessem mais atentos às suas necessidades e mais conscientes das exigências que cada época ou estação lhes trazia.
Hoje, usamos grande parte do nosso tempo conectados às máquinas, telemóveis e afins, a tecnologia tornou-se um fator que dificulta a nossa ligação com a natureza. Estamos menos despertos, mais distraídos, menos sensíveis a escutar as necessidades do nosso corpo e a perceber de que forma podemos aproveitar saudavelmente a energia de cada estação. A nossa capacidade de perceber as necessidades do nosso corpo e de o respeitar tornou-se mais reduzida.

O que nos sugere a chegada do Outono?

O Outono traz a necessidade de deixar ir aquilo que não é preciso e aquilo que não nos faz bem, de deixar partir o que já está velho para que seja possível renovar. Como diz o ditado popular “Quem planta no Outono leva um ano de abono”. Há que limpar a terra para plantar novas sementes para depois recolhermos bons frutos! Esta limpeza pode, e deve, estender-se a três níveis: corpo, mente e energia.

Com a entrada do Outono, o que podemos fazer para aproveitar a sua energia da forma mais eficaz e mais saudável para nós?

Ao nível do corpo físico diria que o convite é a limpeza, tanto ao nível da pele (que representa o exterior) como uma purificação orgânica (que representa o interior). Ao nível da mente, há um convite a uma maior introspeção, há um voltar-se mais para dentro e, com a diminuição da temperatura ficamos naturalmente predispostos ao recolhimento.

Reforçando que, é a partir das nossas escolhas conscientes que podemos tornar-nos mais saudáveis, aqui estão algumas sugestões:

CORPO: 
• Fazer exercício físico, escolher um plano adequado que potencie as exigências desta estação;
• Cuidados com a pele, limpeza e esfoliação;
• Cuidados com a alimentação, optar por alimentos que ajudem o organismo a depurar;

MENTE E ENERGIA:

• Meditar, encontrar aqueles momentos de pura conexão com a nossa essência;
• Fazer uma limpeza geral ao quarto e à casa em geral, garantindo que se liberta de tudo aquilo que acaba por nunca usar;
• Ligar-se à intuição do que é para largar (que está sem vida, que não nutre, que limita, que deprime, etc.) tal como as árvores vão deixar cair as folhas secas.

Eu não dispenso o meu Yoga, as minhas práticas de meditação, uma alimentação natural e biológica e, pelo menos duas vezes por ano, uma depuração medicamente assistida.

Este Outono cuide-se!

Joana Rainha